GOVERNO DAS IGREJAS
“Segundo a graça de Deus que me
foi dada, assentei o fundamento
como sábio construtor
e outro edifica sobre ele; mas
cada um veja bem como edifica.”
1 Coríntios 3:10

Liberdade em Cristo – eis o que caracterizava as igrejas descritas no Novo Testamento, não havendo sobre elas uma sede, ou um líder papal. Cada qual tinha autonomia para suas próprias decisões, embora fossem orientadas pelos apóstolos, os quais haviam assentado o fundamento, que é o Senhor Jesus e a sua doutrina. Da mesma forma, este ministério, Igreja Bíblica Cristã, segue o mesmo princípio bíblico de liberdade em Cristo quanto à organização e governo das igrejas. Ou seja, aquele que assentou o fundamento deve estar sempre à disposição para dar orientações bíblicas quando procurado, mas não deve interferir no governo particular de cada igreja, embora não deva se omitir no caso de haver algum desvio doutrinário. Sendo assim, a fim de desfazermos qualquer mal-entendido sobre o modo como as congregações são formadas e as igrejas conduzidas, necessitamos esclarecer alguns pontos importantes que serão expostos a seguir.

1 – Organização
Quase todas as congregações que fazem parte deste ministério foram organizadas como igreja seguindo o mesmo processo de formação. Primeiramente, irmãos que há bastante tempo não estavam congregando nos conheceram pela internet e se interessaram em fazer parte da Igreja Bíblica Cristã. Então, mais cedo ou mais tarde, descobrem que há um projeto deste mesmo ministério, chamado Quero Congregar, que ajuda na formação de novas congregações bíblicas e cristãs. Em seguida, após um certo número de irmãos da mesma região se cadastrarem pelo projeto, iniciam-se as reuniões com o acompanhamento do Projeto Quero Congregar. É neste ponto que devemos esclarecer que a organização desse grupo de irmãos como Igreja Bíblica Cristã não ocorre quando os irmãos passam a se reunir num local público, mas sim quando os mesmos são unânimes em dizer que alguém dentre eles tem o chamado pastoral. Ou seja, somente após a congregação ter alguém na responsabilidade pastoral é que a reconhecemos oficialmente como Igreja Bíblica Cristã – ainda que as reuniões continuem ocorrendo na simplicidade de uma casa. Sendo assim, a diferença de designação entre “igreja” e “congregação” não deve ser entendida quanto ao local das reuniões ser público, ou numa casa, pois compreendemos que igreja são os irmãos em Cristo, não importando o local onde se reúnam. No entanto, apenas para fins de identificação, chamamos de congregação as igrejas que ainda não contam com um pastor local, e de igreja as que já tem alguém no pastorado – por menor que seja a igreja e mesmo que se reúna numa casa. Havendo alguém na função pastoral a nova igreja deverá se organizar segundo os parâmetros do estatuto apresentado como modelo neste site, mesmo que ainda não esteja registrada em cartório. Se houver necessidade de se alterar algo no estatuto, devido à alguma circunstância local, o pastor deverá explicar à congregação a necessidade dessa alteração, a qual poderá ser feita, mas desde que não contrarie a identidade, proposta, doutrina e princípios que nos caracterizam como Igreja Bíblica Cristã.

2 – Autonomia
Mesmo fazendo parte deste ministério, cada congregação que se forma como Igreja Bíblica Cristã é autônoma, no sentido de tomar suas próprias decisões internas e responsabilizar-se por elas. Assim ocorria com as igrejas do Novo Testamento, de modo que não estamos criando nada de novo, mas apenas seguindo o modelo bíblico neotestamentário. Sendo assim, se por um lado cada congregação e igreja deve ser leal à identidade, proposta, doutrinas e princípios que nos definem como Igreja Bíblica Cristã, por outro, cada igreja é também completamente livre para edificar-se em Cristo nos seguintes aspectos:

1. Decidir em qual local, dias e horários ocorrem suas reuniões;
2. Definir como serão conduzidas as reuniões;
3. Realizar discipulados;
4. Fazer evangelismo;
5. Consagrar diáconos, evangelistas, mestres, pastores e missionários;
6. Escolher livremente qualquer texto bíblico para pregação e ensino;
7. Elaborar seus próprios estudos bíblicos;
8. Desenvolver cursos teológicos gratuitos;
9. Criar ministérios internos;
10. Desenvolver projetos e obras sociais;
11. Determinar o uso que se fará do valor arrecadado nas ofertas;
12. Adotar ou não o estatuto proposto pelo ministério, alterando pontos que necessitar;
13. Estabelecer um regimento interno que não contrarie o estatuto em vigor;
14. Publicar seu próprio site, blog, páginas em redes sociais e plataformas de ensino;
15. Convidar irmãos deste ou de outro ministério para pregar e ensinar;
16. Iniciar novas congregações com a mesma autonomia, mantendo a liberdade em Cristo.
17. Organizar novas igrejas, segundo a mesma identidade, proposta, doutrina e princípios que nos caracterizam como Igreja Bíblica Cristã.

Advertimos, no entanto, que cada pastor local é o responsável pelo governo da própria igreja em que congrega, devendo sempre buscar a direção do Espírito Santo e a devida base bíblica para tomar suas decisões.

3 – Unanimidade
O que faz com que uma congregação ou igreja faça parte deste ministério é haver plena concordância com a identidade, proposta, doutrina e princípios que caracterizam a Igreja Bíblica Cristã. Essas informações podem ser conferidas em nosso site, baixadas em PDF, ou adquiridas gratuitamente em material impresso nos locais das reuniões. As igrejas, evidentemente, têm plena liberdade para mútua colaboração, como será explicado no ponto a seguir.

4 – Cooperação
Por serem autônomas, uma igreja não deve interferir nas decisões da outra, ou tentar influencia-la. Mas, fazendo parte do mesmo ministério, uma igreja pode (e até deve) colaborar com outra, sempre que possível ou que se faça necessário. Por exemplo, uma igreja pode dar apoio para outra em determinados eventos, tais como evangelização, cultos especiais, batismos e consagrações.

Advertimos, porém, que as igrejas não devem estar se comparando umas com as outras, pois não deve haver competição entre as mesmas. Da mesma forma que este ministério, Igreja Bíblica Cristã, não está competindo com qualquer outro ministério ou denominação cristã. Devemos nos lembrar que cabe somente a Deus avaliar e julgar as igrejas. Exemplo disso são as cartas para as sete igrejas do Apocalipse. Elas nos revelam que uma igreja pode ter poucos recursos, mas receber do Senhor elogios e nenhuma repreensão, enquanto outra pode considerar-se rica, mas ter uma avaliação errada de si mesma, recebendo somente repreensões do Senhor e nenhum elogio. Logo, não devemos julgar segundo as aparências, pois o Senhor é que sabe se uma igreja está sendo realmente fiel à missão que ele nos designou, de sermos e fazermos verdadeiros discípulos de Cristo – algo que não deve ser confundido com a formação de teólogos.

5 - Lealdade
Não há vínculo jurídico entre as igrejas unidas a este ministério. Por conseguinte, não há também qualquer tipo de taxação, cobrança ou pressão sobre qualquer pastor ou congregação. Como já foi mencionado, as igrejas têm completa autonomia. Por outro lado, todas as congregações e igrejas devem se manter sempre leais à mesma identidade, proposta, doutrina e princípios bíblicos, os quais estão divulgados por meio do nosso site, PDF e material impresso. A concordância e observância dos mesmos é que faz com que cada congregação seja, de fato, uma Igreja Bíblica Cristã.

Porém, mesmo com toda essa liberdade em Cristo e a maravilhosa proposta de sermos realmente bíblicos e cristãos, não é impossível que alguma igreja se torne desleal em algum momento, desviando-se daquilo que nos caracteriza como Igreja Bíblica Cristã. Tendo em vista que não podemos desconsiderar essa possibilidade, por mais improvável que seja, necessitamos deixar a seguinte orientação bíblica:

Caso você congregue em alguma igreja deste ministério, mas perceba que a mesma está se distanciando da nossa identidade, proposta, doutrina e princípios bíblicos, aconselhamos que não comente sobre isso, mas primeiramente ore a respeito, rogando ao Senhor que lhe dê sabedoria, mansidão e humildade para tratar desse assunto. Em seguida, agende uma respeitosa conversa em particular com o seu pastor local e procure mostrar, com todo o respeito, o ponto no qual ele pode estar desviando a igreja do seu propósito original. Se ele não lhe der ouvidos, chame um ou dois irmãos da igreja que possam testemunhar uma nova conversa com o pastor sobre esse assunto. Se ainda assim não houver entendimento, pedimos então que nos comunique diretamente pelo e-mail abaixo sobre essa situação. Recebido o seu e-mail, o mesmo será apresentado a uma comissão composta pelos três pastores que há mais tempo fazem parte da Igreja Bíblica Cristã, e que não sejam alvo dessa denúncia. Os mesmos irão tratar do assunto da melhor forma possível, buscando pela direção do Espírito Santo em oração.

E se, no pior dos cenários, o pastor de alguma igreja decidir se desligar do nosso ministério, tentando levar a igreja após si, orientamos aos irmãos que se sentirem descontentes com isso que não discutam, mas que ao menos um de vocês entre em contato conosco pelo mesmo e-mail, pois não lhes deixaremos desamparados. Uma nova congregação bíblica e cristã poderá ser formada, se assim o Espírito Santo nos orientar.

falecom@igrejabiblicacrista.org

“A graça seja com
todos os que amam a
nosso Senhor Jesus Cristo
em sinceridade”
Efésios 6:24