Vocês consagram evangelistas?
Sim, nós consagramos evangelistas, e o fazemos com base em qualquer uma das três passagens bíblicas onde o termo evangelista é mencionado.

A primeira ocorrência se dá em Atos 21:8, onde Filipe é chamado de “o evangelista”, nos indicando que ele exercia tal função, apesar de anteriormente ter exercido o diaconato na igreja em Jerusalém.

Em seguida, o termo evangelista é mencionado em Efésios 4:11, onde o contexto nos revela tratar-se de um ministério dado pelo Senhor para a edificação e proteção da sua igreja, assim como os demais mencionados no mesmo versículo.

E, finalmente, encontramos Paulo exortando Timóteo a fazer a obra de um evangelista e a cumprir o seu ministério (Cf.: 2Tm 4:5).

Embora sejam poucas passagens bíblicas, todas elas nos revelam a existência do ministério de evangelista na igreja. Especialmente Efésios 4:11, onde percebemos que o evangelista deve contribuir com os demais ministérios, embora não deva ser confundido com eles. Por exemplo, o evangelista não deve exercer o ministério pastoral, cuja responsabilidade é o governo da igreja. Porém, deverá colaborar diretamente com o pastor dedicando-se à evangelização, seja trazendo novos convertidos a Cristo, seja evitando que se desviem do evangelho da graça de Deus. Notemos que todos os ministérios mencionados em Efésios 4:11 apontam para a mesma finalidade: “Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4:14,15)

Sendo assim, nós consagramos evangelistas, pois percebemos que se trata de um importante ministério para auxiliar o pastor no crescimento e proteção do rebanho de Deus. A respeito de mulheres também serem consagradas a evangelistas, não encontramos restrição bíblica quanto a isso, mas apenas uma clara proibição ao pastorado feminino.

Voltar para Perguntas