Perseverando até o Fim - Banner

ESTUDO DO SERMÃO PROFÉTICO DE JESUS


3ª Lição

AINDA NÃO É O FIM


Introdução

Agora que já compreendemos a importância de lermos os evangelhos sinóticos em paralelo, usaremos este método na análise de cada trecho em que o Senhor responde à segunda pergunta dos apóstolos:

- Que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século? (Mt 24:3b)

Lembramos que todos os trechos do sermão profético, ou discurso escatológico, podem ser vistos lado a lado através da tabela panorâmica que vimos na aula anterior. Na lição de hoje analisaremos o primeiro trecho da resposta do Senhor, o qual antecede o chamado “princípio das dores”, que será o tema da próxima aula.

Comparação dos textos

Gráfico Evangelhos

Que ninguém vos engane

Antes de revelar qualquer sinal de sua vinda e do fim dos tempos o Senhor advertiu sobre a tentativa que muitos fariam para nos enganar a respeito desses eventos. Não é por mero acaso que tal advertência se encontre no início do seu discurso em todos os sinóticos. Desde o nascimento da igreja têm surgido oportunistas que se aproveitam da promessa do retorno de Cristo para se passarem por ele, ou para predizer o dia da sua segunda vinda.[7]

Eu sou o Cristo

Em primeiro lugar, o Senhor advertiu que muitos se apresentariam declarando-se como Cristo, ou seja, dizendo ser o próprio Jesus que teria voltado ao mundo. De fato, ao longo dos séculos não foram poucos que se apresentaram dessa forma, com veremos a seguir. A lista de falsos cristos é muito extensa, por isso apresentamos apenas os nomes mais conhecidos, numa faixa de tempo limitada, que abrange desde os últimos dois séculos até os nossos dias:

John Nichols Thom (1799-1838), rebelde contra o governo, dizia ser o “salvador do mundo” e a reencarnação de Jesus Cristo em 1834.

Arnold Potter (1804-1872), dissidente da Igreja dos Santos dos Últimos Dias (mórmons), afirmava que o espírito de Jesus Cristo entrou em seu corpo. Morreu numa tentativa de “subir ao céu” ao pular de um penhasco.

Bahá’u’lláh (1817-1892), nascido numa família muçulmana xiita, em 1844 afirmou ser o cumprimento profetizado de todas as grandes religiões. Ele fundou a Fé Bahá’í em 1863, que tem seguidores até hoje em todo o mundo.

William W. Davies (1833-1906), líder da seita Reino dos Céus localizado em Washington (1867-1881). Ele ensinava a seus seguidores que era o arcanjo Miguel, mas já havia vivido como Adão, Abraão e Davi. Quando seu filho Arthur nasceu, em 1868, afirmou que a criança era a reencarnação de Jesus Cristo.

Mirza Ghulam Ahmad (1835-1908), natural da Índia afirmou ser o aguardado Mahdi, bem como a segunda vinda de Jesus, o Messias prometido no final do tempo. Ele foi a única pessoa na história islâmica que alegava ser ambos.

Lou de Palingboer (1898-1968), fundador e líder de uma seita da Holanda, que dizia ser “o corpo ressuscitado de Jesus Cristo.”

Haile Selassie I (1892-1975), originalmente Tafari Makonnen, não dizia abertamente ser Jesus, mas o movimento Rastafári, que surgiu na Jamaica nos anos 1930, o adora como a representação terrena de Deus, especialmente após tornar-se imperador da Etiópia, em 1930.

Ernest Norman (1904-1971), um engenheiro elétrico que fundou a Academia Unarius de Ciência, em 1954. Dizia ser a encarnação terrena de um arcanjo chamado Raphiel, mas já vivera na terra como outras figuras notáveis, incluindo Confúcio, Sócrates e Jesus.

Krishna Venta (1911-1958), fundador da seita Fonte de Sabedoria, conhecimento, fé e amor, na Califórnia, no final de 1940. Em 1948, declarou que ele era o Cristo, o novo messias e que chegou à Terra vindo do planeta Neophrates, já extinto.

Ahn Sahng-Hong (1918-1985), sul-coreano que fundou a Igreja de Deus Nova Aliança da Páscoa em 1964, que se tornou a Sociedade Missionária Mundial de Deus. Afirmou que seria a segunda vinda de Jesus e depois passou a se declarar o próprio Deus Pai.

Sun Myung Moon (1920-2012), mais conhecido como Reverendo Moon, fundador da Igreja da Unificação. Ensinava ser o Messias e a segunda vinda de Cristo, cumprindo a missão inacabada pelo Jesus bíblico.

Jim Jones Jim Jones (1931-1978), fundador do Templo dos Povos. Inicialmente um líder protestante, passou a se dizer a reencarnação de Jesus Cristo. Alegando perseguição religiosa nos EUA, levou seus seguidores para Jonestown, Guiana. Em 1978, após assassinar uma comitiva de cinco investigadores, decidiu organizar um suicídio coletivo. A cifra final de mortos chegou a 918, incluindo mais de 270 crianças e quatro que se suicidaram no escritório da seita.

Marshall Applewhite (1931-1997), fundador da seita Portão do Céu, usou a internet para se declarar Jesus Cristo e reunir seguidores. Todos cometeram suicídio coletivo dia 26 de março de 1997, ao passar pela Terra o cometa Hale-Bopp , que acreditavam ser uma espaçonave que teria vindo buscá-los.

Wayne Bent (1941-), seu verdadeiro nome é Michael Travesser. Em 1989 fundou a Igreja o Senhor é Nossa Justiça. Ele afirma: “Sou a personificação de Deus, sou a divindade e a humanidade combinado”. A partir de 2000 disse ter ouvido Deus dizer: “Você é o Messias”. Foi condenado à prisão em 2008, por abuso sexual de menores.

Ariffin Mohammed (1943-), também conhecido como “Ayah Pin”, fundou a seita Reino dos Céus, na Malásia , em 1975, logo proibida pelo governo. Ele afirma a seus seguidores ser a reencarnação de Jesus, bem como de Shiva, de Buda e de Maomé.

Matayoshi Mitsuo (1944-), um político conservador japonês, que em 1997 criou o Partido Mundial da Comunidade Econômica, com base em sua convicção de que ele é Deus e que fará o último julgamento como Cristo, mas dentro do sistema político atual.

José Luis de Jesús Miranda José Luis de Jesús Miranda (1946-2013), porto-riquenho fundador e líder da Igreja Crescendo em Graça. Afirmava que o Cristo ressuscitado se apossou do seu corpo em 1973. Idolatrava o número 666. Anunciou que seria transfigurado em 2012, tornando-se imortal, mas morreu em 2013 de cirrose hepática. Em 2015 a viúva, Lisbet, tomou a frente da seita, que se espalha por 25 países. Ela declara ser o arcanjo Miguel.

Inri Cristo (1948-), um astrólogo brasileiro que afirma, desde 1969, ser o segundo Jesus reencarnado. Vive em Brasília, considerado por ele e seus discípulos como a “Nova Jerusalém” mencionada no Apocalipse.

Shoko Asahara (1955-), fundou o grupo religioso japonês Aum Shinrikyo, em 1984. Ele declarou ser o Cristo e Cordeiro de Deus. Ficou famoso ao realizar o ataque com gás sarin no metrô de Tóquio em 1995. Desde então foi preso e condenado à morte, mas ainda aguarda a execução.

David Koresh (1959-1993), líder da seita Davidiana com sede em Waco, Texas. Em 1983 começou a dizer que era o último profeta e o Filho de Deus. Reuniu seus seguidores e um grande arsenal em uma fazenda. Em 1993 o FBI invadiu o local, numa operação que terminou com um incêndio. Além de Koresh, morreram 54 adultos e 21 crianças.

Hogen Fukunaga (1945-), fundou no Japão, em 1987, a Ho No Hana Sanpogyo, conhecida como seita da “leitura do pé”. Ele diz ser a reencarnação de Jesus Cristo e de Sidarta Gautama, o Buda.

Marina Tsvigun (1960-), ou Maria Devi Christos, líder da Grande Fraternidade Branca. Em 1990, ela conheceu Yuri Krivonogov, que passou a afirmar que Marina era um novo messias e mais tarde se casou com ela.

Sergey Anatol'yevitch Torop Sergey Anatol'yevitch Torop (1961-), um ex-guarda de trânsito russo, que afirma ter “renascido” em 1991 como Vissarion, o Jesus Cristo retornado. Fundou a Igreja do Último Testamento. Em 1990 estabeleceu sua sede na região da taiga siberiana, onde vive com cerca de quatro mil discípulos na comunidade espiritual Tiberkul Ecopolis. Há cerca de 10 mil seguidores pelo mundo.

David Shayler (1965-) é um inglês, ex-agente do serviço secreto MI5 que, no verão de 2007, proclamou ser o Messias. A “descoberta” da nova identidade veio após o consumo de cogumelos alucinógenos. Afirma que um espírito apareceu e lhe deu a notícia. Passou então a andar apenas com roupas brancas e sem sapatos. Defende o uso de drogas como algo espiritual. Lançou uma série de vídeos no YouTube onde afirma ser Jesus. Vive com alguns seguidores numa comunidade seminômade, ocupando casas vazias em Londres ou no interior da Inglaterra. Ele afirma ter um “lado mulher” e assume por vezes uma personalidade a quem chama de Delores Kane.

Oscar Ramiro Ortega-Hernandez (1990-). Em novembro de 2011, disparou nove tiros com um rifle AK-47 contra a Casa Branca, em Washington. Afirmando ser Jesus Cristo, disse que foi enviado para matar o presidente Barack Obama, que seria o Anticristo. Foi condenado a 25 anos de prisão.

Alan John Miller (1962-), mais conhecido como AJ Miller. Australiano, é um ex-Testemunha de Jeová e líder do movimento Verdade Divina. Miller afirma ser Jesus Cristo reencarnado e quer espalhar mensagens que ele chama de “Verdade Divina”. Ele faz vários seminários sobre o tema e usa várias formas de mídia, principalmente a internet. Vive com Mary Suzanne Luck, que seria o retorno de Maria Madalena a Terra.

Enganarão a muitos

Exatamente como o Senhor profetizou, os falsos cristos têm conseguido atrair milhares de seguidores por toda parte. Sendo assim, jamais devemos nos impressionar com números, pois multidões podem estar enganadas. Veremos a seguir que o mesmo fenômeno ocorreu com aqueles que predisseram datas para o fim dos tempos.

Chegou a hora

Paralelo ao texto de Mateus e Marcos, o evangelho de Lucas acrescenta que o Senhor também alertou sobre as falsas previsões acerca do seu retorno:

“Vede que não sejais enganados;
porque muitos virão em meu nome, dizendo: [...]
Chegou a hora! Não os sigais.” (Lc 21:8p)

Na realidade, não se trata de um acréscimo em Lucas, mas de uma antecipação da mesma advertência que os dois primeiros evangelhos dirão mais a frente, porém com outras palavras:

“Mas a respeito daquele dia ou da hora ninguém sabe;
nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai.”
(Mateus 24:36; Marcos 13:32)

Não é errado que alertemos sobre o cumprimento dos sinais da volta de Cristo, pois o próprio Senhor nos revelou esses sinais. Mas a respeito de quando exatamente se dará isso, ninguém pode saber. Trata-se de uma prerrogativa exclusiva de Deus, a respeito da qual nem os anjos ou ser humano algum tem acesso. Prova disso é que nem mesmo o próprio Jesus, enquanto vivia como homem, sabia dizer exatamente quando retornaria.

Mesmo que todos os sinais tenham se cumprido, o máximo que podemos e devemos fazer é nos prepararmos em vigilância, oração e serviço ao Senhor. Isso fica bastante claro nas parábolas que Cristo contou acerca do fim e que veremos no final deste curso.

Porém, a despeito do que disse Jesus, não somente surgiram falsos cristos, mas também pessoas que diziam saber a data da vinda do Senhor, ou do fim dos tempos. A seguir temos outra lista, com aqueles que insistiram em prever essas datas.

Montano (120-180), profeta cristão que surgiu na Frígia, liderando um movimento chamado montanismo junto com duas profetisas, Prisca e Maximilia. Esta anunciava o fim do mundo para logo após sua morte, que ocorreu em 179. Apesar do fracasso da previsão, o montanismo só desapareceu durante o terceiro século no Ocidente e o sexto, no Oriente.

Ireneu de Lyon (130-202) e Hipólito de Roma (170-236), teólogos renomados daquela época, mas que cometeram o erro de prever o fim para o ano 500.

Sextus Julius Africanus (160-240), teólogo romano, primeiro calculou o fim do mundo para o ano 500, mas depois o recalculou para o ano 800.

São Gregório de Tours (538-594), historiador galo-romano e bispo de Tours, calculou que o fim do mundo aconteceria entre 799 e 806.

Beatus de Liébana (séc. VIII), monge espanhol, profetizou o fim do mundo para a véspera da Páscoa de 793. Os ouvintes, pensando que o mundo acabaria naquela noite, entraram em pânico e jejuaram até o amanhecer. Vendo que o mundo não tinha terminado e sentindo fome, Hordonius, um dos presentes, brincou: "Vamos comer e beber, pois, se morrermos, pelo menos estaremos saciados."

Bernardo de Turíngia (séc.XII), ermitão e visionário alemão, calculou que o fim ocorreria no ano 992.

João de Toledo (séc. XII), astrólogo inglês, depois de calcular que um alinhamento planetário ocorreria em Libra em 23 de setembro de 1186, fez circular uma carta (conhecida como a "Carta de Toledo") alertando que o mundo seria destruído nesta data e que apenas poucas pessoas sobreviveriam.

Joaquim de Fiore (1135-1202), filósofo e místico italiano, determinou que o reinado de Cristo sobre a Terra começaria entre 1200 e 1260. Depois do erro, seus seguidores (os joachites) revisaram a data para 1290, e depois, para 1335.

Papa Inocêncio III (1161-1216), calculou que a segunda vinda de Cristo ocorreria em 1284, resultado da soma de 666 anos após o surgimento do Islã.

Gerard de Poehlde (séc. XII), padre que acreditava que o Milênio de Cristo havia começado quando o imperador Constantino chegou ao poder; imaginou que Satanás seria solto no final do período de mil anos e destruiria a Igreja. Uma vez que Constantino subiu ao poder em 306, o final do Milênio seria em 1306.

Sandro Botticelli (1445-1510), famoso pintor italiano, acreditava que o reinado de Cristo sobre a Terra começaria em até três anos e meio depois de 1500.

Hans Hut (1490-1527), reformador, previu que o fim ocorreria no dia de Pentecostes, em 27 de maio de 1528.

Melchior Hoffman (1495-1543), líder anabatista alemão, previu que apenas 144 mil pessoas seriam salvas na segunda vinda de Cristo, que se daria em 1533 e começaria em Estrasburgo.

Michael Stifel (1487-1567), matemático alemão, calculou o Juízo Final para às 8 horas de 19 de outubro de 1533.

Jan Matthys (1500-1534), líder anabatista, previu que o Apocalipse aconteceria em 5 de abril de 1534, e que apenas a cidade alemã de Münster seria poupada.

Michel de Nostradamus Michel de Nostradamus (1503-1566), médico e alquimista francês que, segundo intérpretes, previu o fim do mundo para quando a páscoa caísse em 25 de abril. Tal sincronia ocorreu em 1666, 1734, 1886, 1943. A próxima vez será em 2038.

Pierre Turrel (séc.XVI), astrólogo francês, anunciou quatro possíveis datas para o fim do mundo, usando diferentes métodos de cálculo. As datas foram 1537, 1544, 1801 e 1814.

Cristóvão Colombo (1451-1506), famoso navegador italiano, influenciado por Pierre d'Ailly, afirmou que o mundo fora criado em 5343 a.C. e que duraria precisos 7.000 anos. Assumindo que não há ano zero, calculou que o fim viria em 1658.

Isaac Newton Isaac Newton (1642-1727), físico britânico e descobridor da lei da gravidade, acreditava que as Escrituras continham conhecimentos secretos e calculou, com base no livro de Daniel, que o fim mundo chegará em 2060. "Pode acontecer mais tarde, mas não vejo motivo para que aconteça mais cedo", afirmou Newton em documentos que pertencem à pertencem à Biblioteca Nacional de Israel.

Charles Wesley (1707-1788), compositor de hinos cristãos e um dos líderes do movimento metodista, acreditava que o mundo iria acabar em 1794, mesma data anunciada pela seita cristã dos Shakers.

John Acquila Brown (1781-1842), escatologista inglês, publicou um cálculo pioneiro, de 2.520 anos como sendo os "sete tempos" de Daniel. Partindo de 604 a.C. ele chegou a 1917, ano em que o governo divino iria se instaurar.

William Guilherme Miller William Guilherme Miller (1782-1849), fazendeiro norte-americano, pregador leigo batista e precursor do movimento chamado Segundo Adventismo; após uma previsão fracassada, refez seus cálculos e chegou à conclusão “inequívoca” de que Cristo Jesus retornaria em 22 de Outubro de 1844, pois a data coincidia com o Dia da Expiação (Yom Kipur do povo judeu) naquele ano. Miller convenceu mais de 50 mil pessoas, as quais esperavam ansiosas o retorno de Cristo para aquele dia. A decepção foi grande e este evento ficou conhecido como O Grande Desapontamento. Apesar de Miller ter se arrependido de suas previsões, alguns adeptos do movimento iniciado por ele as reinterpretaram, afirmando que o ano de 1844 não marcava a volta de Cristo, mas a segunda e última etapa do Seu ministério expiatório no santuário celestial. Assim, organizaram em 1863 a Igreja Adventista do Sétimo Dia, acrescentando a guarda do sábado – por influência dos Batistas do Sétimo Dia – e diversos ensinamentos de Ellen Gold White, uma de suas fundadoras, a quem consideram como profetiza.

Nelson Barbour (1824-1905), norte-americano, adepto e editor religioso do movimento chamado Segundo Adventismo. Em 1860, refez os cálculos de Willian Miller, seu antigo mestre, e apontou 1874 como a data em que Cristo retornaria. Como nada aconteceu, ele mudou sua interpretação da profecia, reafirmando que naquele ano o Senhor, de fato, retornou, mas de forma invisível. Em seu periódico Herald of the Morning (Arauto da Manhã), publicou cálculos que resultavam no ano 1914 como o fim dos "Tempos dos Gentios".

Charles Piazzi Smyth (1819-1900), astrônomo real da Escócia e piramidologista, concluiu, a partir dos estudos das dimensões da Pirâmide de Quéops, que Cristo voltaria entre 1892 e 1911.

Charles Taze Russell Charles Taze Russell (1852-1916), camiseiro norte-americano que veio a ser o fundador da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias & Tratados, cujos adeptos são conhecidos como Testemunhas de Jeová. Conheceu Nelson Barbour, por quem foi convencido de que Cristo teria retornado invisivelmente em 1874 e de que em 1914 ocorreria algo, mas que seria o Armagedom, dando início ao paraíso na terra. Ao invés disso, irrompeu a primeira guerra mundial. Russell marcou então uma nova data, 1918, mas faleceu dois anos antes do ver o novo fracasso. A Sociedade Torre de Vigia, porém, continuou insistindo na marcação de datas para o fim dos tempos: 1920, 1925, 1941 e 1975. Quando o ano de 1975 passou e nada ocorreu, 390.000 Testemunhas de Jeová deixaram a organização Torre de Vigia. Agora a Sociedade não marca mais datas para o fim, mas continua ensinando que muitos daqueles que estavam vivos durante 1914 com certeza verão o Armagedom.

Albert Porta, respeitado meteorologista norte-americano, previu que no dia 17 de dezembro de 1919 uma conjunção de meia-dúzia de planetas iria "causar uma corrente magnética que perfuraria o sol, causando grandes explosões de gás flamejante que, eventualmente, engoliriam a Terra".

Herbert W. Armstrong (1892-1986), fundador da Igreja Mundial de Deus, previu que Jesus voltaria em 1936. Como Jesus não apareceu, Armstrong mudou a data da sua previsão para 1975.

David Davidson (1884–1956), engenheiro escocês e piramidologista, fez cálculos usando as medidas de várias pirâmides, concluindo que o fim ocorreria em 1953.

David Brandt Berg (1919-1994), fundador do grupo Meninos de Deus, usava o pseudônimo de Moses David e previu que um cometa iria nos atingir em algum ano na década de 1970. Depois afirmou que Cristo voltaria em 1993.

Sun Myung Moon Sun Myung Moon (1920-2012), fundador da Igreja da Unificação, é o mesmo Reverendo Moon que já vimos na lista anterior dos falsos cristos. Além de ter dito ser o Messias e a segunda vinda de Cristo, previu que o Reino dos Céus seria estabelecido em 1981. Muitos dos seus seguidores se suicidaram quando a data chegou.

Pat Robertson (1930-), pastor pentecostal americano e fundador da Coalizão Cristã, disse em entrevista a um programa de televisão: "Garanto que em 1982 a humanidade vai chegar ao Juízo Final". Posteriormente, anunciou que o fim ocorreria em 27 de Abril de 2014, quando supostamente nosso planeta seria atingido por um asteroide.

Lee Jang Rim, pregador da Coreia do Sul, disse que 144 mil crentes subiriam ao céu em 28 de outubro de 1992, e que aqueles que ficassem enfrentariam "sete anos de guerra, fome e outros flagelos" que mataria toda a vida no planeta até a Segunda Vinda de Jesus. Muitos dos seguidores de Rim abandonaram suas casas e doaram suas economias à igreja. Pelo menos quatro cometeram suicídio e um veio a óbito por desnutrição, após jejuar por 40 dias. O religioso acabou sendo preso, por fraudar seus seguidores em milhões de dólares.

Credonia Mwerinde, de Uganda, liderou um movimento suicida que pregava o fim do mundo na virada do milênio. No ano 2000, cerca de 3.000 membros do movimento foram envenenados, enforcados ou tiveram a cabeça esmagada. No dia 17 de março, Mwerinde reuniu 600 membros restantes em uma igreja encharcada de gasolina. Todos morreram queimados.

Harold Camping (1921-2013), pastor evangélico americano, previu o fim do mundo para 6 de setembro de 1994, depois para 21 de maio de 2011. Como não aconteceu, recalculou para 21 de outubro do mesmo ano. Em 2012, Camping se desculpou publicamente por seu palpite “incorreto e pecaminoso” e disse que cometeu um erro de cálculo. “Não sou um gênio. Rezo o tempo todo por sabedoria”, alegou. Após o caso, ele anunciou que não divulgaria novas previsões.

Valnice Milhomens (1947-), apóstola do movimento G12, anunciou em programa de televisão que Jesus voltaria num dia de sábado do ano 2007, pois neste ano se completavam 40 anos (uma geração) da guerra dos seis dias, em que Israel venceu os árabes e conquistou territórios importantes.[8]

Efrain Rodrigues, porto-riquenho que se diz profeta, anunciou que antes de 31 de dezembro de 2014 ocorreria a queda de um meteorito no mar de Porto Rico, o que ocasionaria um terremoto de 12 graus, gigantescos tsunamis, milhares de mortos, a destruição de cidades e três dias de escuridão. Como nada ocorreu, remarcou a catástrofe para entre os dias 22 e 28 de Setembro de 2015.

Como alguém já disse, “o tempo é o maior inimigo de um falso profeta”. A desiginação de “falso profeta” talvez seja forte demais para com alguns cristãos da lista, sinceros na fé, mas que realmente foram persuadidos por seus cálculos escatológicos. Por outro lado, somos proibidos pelo Senhor de fazermos tal coisa. O Senhor nunca nos incentivou a calcularmos datas, mas a nos mantermos fortalecidos espiritualmente, sobretudo porque os dias finais serão cada vez mais difíceis para mantermos a fé e o testemunho cristão.

Guerras, revoluções e rumores de guerras

Guerras Quanto a esse ponto, não necessitamos apresentar nenhuma lista. Qualquer estudante sabe que a história da humanidade tem sido marcada por constantes guerras e revoluções. O que talvez muitos não saibam é que esse número não para de crescer. Por exemplo, o ano de 2013 foi o que registrou mais conflitos armados desde a Segunda Guerra Mundial, com um total de 20, de acordo com o relatório anual do Instituto de Heidelberg de Pesquisa Internacional de Conflitos (HIIK). Ao todo, o HIIK registrou 414 conflitos, nove mais que no ano anterior. Do total, 45 são altamente violentos, 20 que denomina guerras em sua categoria mais elevada, e outros 25 que classifica de guerras limitadas.[9] No entanto, como nos orientou o Senhor, não devemos nos assustar:

“Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não vos assusteis;
pois é necessário que primeiro aconteçam estas coisas,
mas o fim não será logo.” (Lucas 21:9)

O fim não será logo

A profecia tem se cumprido. Quase dois mil anos se passaram desde que o Senhor nos deixou o seu sermão profético e ainda não chegamos ao final desta era. De fato, ele nos alertou que seria assim, ou seja, que ainda se passaria muito tempo antes do fim.

Conclusão

Durante todos esses séculos não faltaram pessoas se apresentando como Cristo, ou predizendo a data de seu retorno, como se houvesse chegado o fim dos tempos. Também jamais deixou de haver guerras, revoluções e rumores de guerras. Mas o Senhor alertou que nada disso deveria ser interpretado como sinal do seu iminente retorno. Outros sinais mais contundentes apareceriam e, de fato, tem aparecido nas últimas décadas. De tal forma que, apesar de ninguém saber a data do retorno de Cristo, talvez já não possamos mais dizer que o fim não será logo. Mas, calma! Esse “logo” não significa que será hoje ou amanhã. E nem talvez nos próximos meses ou anos. Na medida em que avançarmos nas aulas compreenderemos melhor essa questão.


Suplemento

[7] A segunda vinda de Cristo: Uma promessa que, além dos textos que já estamos analisando, também se encontra nos seguintes versículos:
João 14:1-3; Atos 1:11; 1Tessalonicenses 4:16,17; Hebreus 9:28; 2Pedro 3:1-13; Apocalipse 1:7; 22:12.

[8] Valnice Milhomens: O raciocínio para seus cálculos foram explicados por ela mesma no seguinte vídeo: https://youtu.be/PMRNQAkVeBQ

[9] Sobre o relatório anual do HIIK:
http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/2013-e-o-com-mais-conflitos-armados-desde-a-2a-guerra

VÍDEOS EXIBIDOS EM AULA

Jim Jones
https://youtu.be/2jdVueri4Sc

José Luis de Jesús Miranda
https://youtu.be/7imHJP1e4p4

Inri Cristo
https://youtu.be/UI0NyNEnyy8

Sergey Anatol'yevitch Torop
https://youtu.be/ORC4D1WCfl8

Isaac Newton
https://youtu.be/hDL20siv27E

Charles Taze Russell
https://youtu.be/3kTVpivu-TE

Lições
1  |  2  |  3  |  4  |  5  |  6  |  7  |  8  |  9




Igreja Bíblica Cristã

Sede: Av. Alzira Vargas, 863
Laranjal - São Gonçalo - RJ

Compartilhe!

Contato

contato@igrejabiblicacrista.org
+55 (21) 3606-5614

2014 - Capriles Web Designer
© Todos os direitos reservados.