NOSSO FUNDAMENTO

"Ninguém pode pôr outro fundamento
além do que já está posto,
o qual é Jesus Cristo."
(1 Coríntios 3:11)

Jesus Cristo é o nosso fundamento, a base da verdadeira fé cristã. Este fundamento é a própria Palavra de Deus, uma vez que Cristo é o Verbo que se fez carne. Não é possível se receber Jesus e, ao mesmo tempo, se rejeitar as Escrituras que nos revelam a seu respeito. Portanto, é na Bíblia Sagrada que encontramos a base sobre a qual se sustenta nossa fé.

Este fundamento, que é Cristo, se desdobra em grandes verdades claramente reveladas nas Escrituras Sagradas. São fatos que podemos organizar em tópicos muito importantes, os quais, uma vez reunidos, nos apresentam uma correta visão de mundo, ou seja, uma cosmovisão segundo a perspectiva bíblica, e não segundo o que a cultura e a sociedade tentam nos impor.

É importante que tenhamos nossa cosmovisão corrigida antes que conheçamos os ensinamentos de Cristo. Do contrário torna-se difícil a compreensão da importância do que ele nos ordenou. E como pode alguém querer obedecer aquilo que não compreende?

As verdades fundamentais que veremos a seguir partem da premissa de que “a Escritura com a Escritura se interpreta”, o que em outras palavras significa dizer que a Bíblia explica a própria Bíblia. Ou seja, não se tratam de ideias particulares, mas sim da Bíblia explicando e concordando com a própria Bíblia. Isso pode ser comprovado pelo exame das referências bíblicas que aparecem logo abaixo de cada sentença.

Cada lista de referências não é exaustiva, podendo acrescentar-se ainda mais textos bíblicos, porém já é o bastante para se confirmar a veracidade das doutrinas que claramente se revelam nas Escrituras.

As Escrituras nos revelam que:

Deus é o único criador, possuidor e sustentador do universo, o qual, mesmo sendo um só Deus – completamente santo, perfeito, imutável, onipotente, onisciente, onipresente e presciente – também se revela distintamente em três pessoas divinas: Pai, Filho e Espírito Santo – iguais em essência, perfeição e atributos divinos, mas com ofícios distintos e harmônicos.
Gn 1:1; Ex 15:11; Dt 4:39; 32:4; 1Sm 2:2; 6:20; Ne 9:6; Jó 34:21; 37:23; 42:2; Sl 18:30; 99:9; 111:9; 115:3; 139:7-10; 145:17; 146:6; 147:5; Pv 15:3; Ec 3:14; Is 6:1-3; 42:8-9; 43:13; 44:24; 45:12,18; 46:9-11; 57:15; 66:1-2; Jr 23:23-24; Dn 2:28; Ml 3:6; Mt 3:16-17; 5:48; 11:27; 19:26; 24:36; 28:18,19; Lc 1:37; Jo 1:10;18; At 1:24; 3:18; 17:24-28; Rm 8:29; 1Co 8:6; 12:4-6; 2Co 13:13-14; Ef 2:18; 3:9; Hb 4:13; 1Pe 1:2; 1Jo 3:20; 5:7; Ap 15:4.

Jesus Cristo é o Filho unigênito de Deus, co-autor de toda criação, único Senhor e Salvador da humanidade, o qual deixou temporariamente a sua glória com o Pai para nascer como homem, viver sem pecado, vencer o diabo e seus demônios, proclamar o evangelho, ensinar sobre o reino de Deus, fazer discípulos, edificar a igreja, morrer pelos pecadores, ressuscitar para justificação dos que nele crêem, e subir novamente aos céus, de onde batiza no Espírito Santo, estando à destra do Pai, de quem recebeu todo o poder, e de onde retornará no fim dos tempos para ressuscitar os justos, eliminar totalmente o mal e criar novos céus e nova terra, onde estabelecerá o seu reino de justiça para sempre.
Mt 3:11; 11:27; 13:40-43; 25:31-46; 28:18-20; Mc 3:14; Lc 1:32-33; 24:49; Mc 1:8; Lc 3:16; Jo 1:1-5,9- 18,29-34; 5:22-29; 7:39; 14:6,16-17; 16:7,15; At 1:4-5; 2:22-36; 5:30-32; 10:36-42; Rm 4:25; 14:9-12; 1Co 8:6; 2Co 5:10; Ef 1:20-22; 4:8-10; Fp 2:5-11; Cl 1:16-18; 2:15; 2Ts 1:7-10; 1Tm 2:5; Tt 3:5-6; Hb 1:2; 2:14; 12:24; 2Pe 3:11-13; 1Jo 3:8; Ap 21:1-7.

O Espírito Santo, também chamado de Consolador, é o indispensável cooperador da igreja, enviado pelo Senhor para habitar em cada verdadeiro cristão, a fim de lhes orientar, encorajar e capacitar com poder, tanto por meio de dons para a edificação da igreja, quanto pelo fruto resultante na vida de quem dele se encher.
Mt 10:1,19-20; Mc 16:17-18; Lc 4:18-19; 24:49; Jo 7:39; 14:15-17,26; 15:26-27; 16:7-15; At 1:4-5,8; 2:4,33; 4:29-31; 9:31; 10:44-46; 11:15-16; 13:2,52; 19:1-6; Rm 5:5; 8:15-16,26- 27; 12:6-8; 14:17; 1Co 12:4-13,28- 31; 14:1-33; Gl 5:22-25; Ef 1:13-14; 4:7-15; Hb 2:3-4; 1Pe 1:12

A Bíblia é completamente inspirada pelo Espírito Santo, não havendo outra escritura da qual se possa dizer o mesmo, sendo a nossa única fonte de orientação espiritual e prática cristã.
Jr 23:29; Pv 30:5; Is 40:8; 55:11; Mt 24:35; Mc 12:24; At 1:16; 28:25; Rm 3:2; Gl 3:8; 2Tm 3:16-17; 4:1-4; Hb 4:12; 1Pe 1:24-25; 2Pe 1:20-21

O pecado é a transgressão da vontade de Deus, cuja consequência é a morte, tanto física quanto espiritual.
Gn 2:17; Ez 18:4,20; Rm 5:12; Tg 1:15, 1Jo 3:4

A humanidade, por sua própria culpa, está completamente escravizada ao pecado e condenada à perdição eterna, podendo, no entanto, cada indivíduo ser liberto desta prática e salvo de suas consequências por meio da fé em Jesus Cristo.
Mt 9:6; Jo 8:34-36; Rm 3:23-26; 5:17-21; 6:21-23; 8:1-4; 2Co 5:21; Gl 3:13; Ef 2:1-7; 5:2; 1Pe 2:24; 3:18; 1Jo 2:1-2; 3:5,8

A salvação é obtida somente pela graça de Deus mediante a perseverante fé em Jesus Cristo, no qual todo crente é capacitado a permanecer com o auxílio do Espírito Santo.
Mt 10:32-33; 20:28; Mc 16:15-16; Jo 3:14-18,36; 5:24; 14:6; At 4:12; 10:42-43; 15:11; Rm 3:23-26; 5:20-21; 6:21-23; 10:9-10; Ef 2:8-10; 1Tm 2:5-6; 1Jo 5:11-12

A conversão é a novidade de vida experimentada por uma pessoa realmente salva, na qual a Palavra e o Espírito Santo estão realmente operando uma regeneração, que pode ser evidenciada pelo abandono de pecados e empenho de se viver para a glória de Deus.
Jo 1:12-13; 3:3-7; At 3:19; 26:18; Rm 6:4,19,22; 1Co:1:2; 3:16; 6:19-20; 2Co 7:1; Gl 5:16-26; 6:15; Ef 1:4, 2:10; 4:1-3; Cl 3:5-14; 1Ts 4:1-8; 2Ts 2:13; Tt 3:3-8; Hb 12:14; Tg 1:18; 1Pe 1:2-3,13- 16, 23; 2:11-12; 1Jo 2:6; 3:9; 5:1-5

A igreja é a congregação dos convertidos a Cristo, os quais, não importando o local onde se reúnam, organizam-se segundo os dons e a direção que receberam do Senhor, para, no poder do Espírito Santo, mutuamente se edificar na Palavra, pregar o evangelho, fazer discípulos de Cristo e prevalecer em nome de Jesus contra todo poder das trevas, destruindo as obras do diabo e expandindo o reino de Deus por toda a terra.
Mt 16:15-19; 18:15-20; Jo 10:27-30; At 9:31; 11:26; 12:5; 13:1-3; 14:23,27; 15:3-4,22,41; 16:4-5; 20:17,28; Rm 16:5,23; 1Co 1:2; 3:9-11; 4:17; 6:1-5; 14:12; 16:1-3,19; 2Co 6:16; 11:8; Ef 1:22-23; 2:19-22; 3:10-12; 4:11-13; 5:23-32; Fp 4:15; Cl 1:18,24; 4:15; 1Tm 3:15-16; Fm 2; Hb 3:1-6; Tg 5:14; 1Pe 2:4-10; Ap 1:4; 22:16.

O reino de Deus é o governo perfeito de Cristo sobre a humanidade, o qual se iniciou na sua primeira vinda, se manifesta parcialmente ao mundo através da igreja e será completamente estabelecido por ocasião do seu retorno.
Sl 145:13; Is 9:6-7; Dn 2:4; 7:18,27; Mt 12:28; 21:43; 28:18; Lc 1:32-33; 11:20; 1Co 15:24-25, 50-52; Ef 1:20-22; Ap 11:15

Os anjos são seres espirituais que servem a Deus, colaborando com a igreja para o cumprimento da sua missão, mas para os quais não devemos orar e nem prestar adoração.
Sl 103:20-21; Dn 3:28; Mt 4:11; 13:41,49; 16:27; 18:10; 22:30; 24:31; 25:31; 26:53; Lc 1:19; 2:8-14; 15:10; 16:22; 20:36; 24:23; Jo 20:12; Gl 1:8; Hb 1:14; Ap 7:11; 22:8-9

O diabo, também chamado de Satanás, tentador, dragão e antiga serpente, é um ser espiritual maligno que se opõem ao ser humano, procurando enganá-lo por meio de seus anjos, os demônios, que tentam seduzi-lo ao pecado, mas que já foram, tanto o diabo quanto os demônios, vencidos por Jesus Cristo na cruz do calvário, não tendo poder contra a igreja do Senhor, mas estando destinados à condenação eterna no lago de fogo após o juízo final.
Gn 3:15; 1Cr 21;1; Jó 1:6; Mt 4:1,10; 8:29; 13:39; 16:23; 25:41; Mc 1:13; Lc 4:13; 8:12; 10:18; 13:16; 22:3,31; Jo 8:44; 13:2; At 5:3; 10:38; 26:18; Rm 16:20; 1Co 7:5; 2Co 2:10; 11:14; Ef 4:27; 6:11; Cl 2:15; 1Ts 2:18; 2Ts 2:9; 1Tm 5:15; 2Tm 2:26; Hb 2:14; Tg 4:7; 1Pe 5:8; 2Pe 2:4; 1Jo 3:8; Jd 6; Ap 2:10; 12:9; 20:2,10

A segunda vinda de Cristo será o seu retorno visível, manifestando-se ao mundo com poder e grande glória, em dia e hora que ninguém sabe, embora seja antecedido por sinais, e que ocorrerá para que o Senhor julgue todos os vivos e os mortos, recompensando a cada um segundo as suas obras, a fim de estabelecer o seu reino de justiça, extirpando todo mal.
Mt 16:27; 24:27,36,44; 25:31-32; 26:64; Mc 14:62; Lc 12:40; 21:27; Jo 14:3; At 1:11; 1Co 4:5; Fp 3:20,21; 1Ts 5:2,23; 2Ts 1:7-8; 1Tm 6:14; 2Tm 4:1; Tt 2:13; Hb 9:28; 10:37; Tg 5:8; 2Pe 3:10; 1Jo 2:28; Jd 14,15; Ap 1:7; 3:11; 16:15; 22:7,20

A ressurreição será um evento sobrenatural, que ocorrerá por ocasião da segunda vinda de Cristo, no qual as almas de todos os seres humanos ressurgirão em seus corpos físicos, seja para a salvação eterna, seja para a condenação eterna.
Sl 49:15; 71:20; Is 26:19; Ez 37:12; Os 13:14; Dn 12:2; Mt 22:29-32; Lc 20:35-36; Jo 5:28-29; 6:40; 11:23-25; At 24:15; Rm 6:5; 1Co 15:20-23;51- 53; 2Co 4:14; Fp 3:11; 1Ts 4:13-16; Hb 6:2; 1Pe 1:3; Ap 11:11; 20:5-6,13.

O arrebatamento será um evento sobrenatural, que ocorrerá na segunda vinda de Cristo, no qual os salvos que ressuscitaram e os que estiverem vivos serão retirados da terra ao encontro do Senhor nos ares, sendo instantaneamente transformados em corpos incorruptíveis.
Mt 24:30-31; 38-41; Mc 13:26-27; Lc 17:26-36; 1Co 15:52; Fp 3:21; 1Ts 4:17; 2Ts 2:1; Ap 11:12; 12:5.

O juízo final será um evento sobrenatural, onde cada ser humano que viveu sobre a terra será julgado perante Deus por seus feitos e receberá a vida eterna ou a condenação eterna.
Sl 62:12; Ec 12:14; Jr 17:10; 32:19; Ez 17:27; Dn 7:10; Mt 13:49-50; 16:27; 25:31-33; Rm 2:1-16; 2Co 5:10; Ef 6:8; 2Ts 1:7-10; Hb 9:27; 1Pe 1:17; 2Pe 2:9; 3:7; 1Jo 4:17; Jd 14,15; Ap 20:11-15.

ADVERTÊNCIA

Certos tópicos polêmicos não fazem parte dos fundamentos bíblicos da fé cristã. Podemos citar como exemplo a predestinação, a grande tribulação e o milênio. Há diferentes interpretações teológicas quanto a esses assuntos e, seja qual for a sua interpretação, isso não trará implicações para com a salvação da alma. Em suma, não é preciso haver consenso a esse respeito para que alguém seja um verdadeiro cristão. Por esse motivo eles não foram aqui mencionados. Aconselhamos cautela quanto ao exame desses temas, pois os mesmos têm causado desnecessária e lamentável contenda entre irmãos em Cristo.

Alan Capriles