A festa de Deus


Por Brian D. McLaren

Jesus sempre comparava o Reino a festas, celebrações e banquetes. Hoje em dia poderíamos dizer que Deus convida as pessoas para deixarem gangues violentas e participarem de uma festa; a deixarem seu vício de trabalhar de forma doentia, em uma espécie de competição insana, e se unirem a uma festa; a deixarem sua solidão e seu isolacionismo e entrarem em uma festa; a deixarem seus partidos exclusivistas (por exemplo, os políticos que ganham eleições colocando os eleitores uns contra os outros), e se juntarem a um partido inclusivo que festeja continuamente por ser de uma espécie diferente; a pararem de brigar e de reclamar, de odiar e de competir, e, em vez disso, começarem a festejar e a celebrar a bondade do amor de Deus. [...]

Meu amigo Tony Campolo conta em história real que também serve como uma excelente parábola nesse sentido. Ele se encontrava em um local que tinha um fuso horário bem diferente e não conseguia dormir. Então, bem depois da meia-noite, saiu perambulando até chegar a uma confeitaria. Algumas prostitutas locais também ali entraram no meio da madrugada, depois de suas atividades habituais. Lá ele não pôde evitar de ouvir uma conversa entre duas delas. Uma, chamada Agnes, disse à outra: “Sabe de uma coisa? Amanhã é o meu aniversário. Vou fazer 39 anos.” Sua amiga respondeu rispidamente: “E o que você espera de mim? Uma festa de aniversário? É isso? Quer que eu arrume um bolo e cante parabéns prá você?” Agnes respondeu: “Ah, pára com isso, por que tem que ser assim tão má? Por que tem que me botar pra baixo? Só estou dizendo que é meu aniversário. Não quero nada de você. Quer dizer, por que eu teria uma festa de aniversário? Nunca tive uma em toda a minha vida. Por que uma logo agora?”

Quando saíram, Tony teve uma idéia. Perguntou ao proprietário da confeitaria se Agnes ia lá todas as noites, e, quando ele disse que sim, convidou-o a participar de uma conspiração para organizar uma festa surpresa. Até a esposa do proprietário se envolveu. Juntos, arrumaram um bolo, velas de aniversário e decoração para que festejassem com Agnes, que para Tony não passava de uma completa estranha. Na noite seguinte, quando ela entrou, todos gritarem: “Surpresa! Surpresa!” – e Agnes não podia acreditar no que seus olhos estavam vendo. Os fregueses da confeitaria cantaram e ela começou a chorar tanto que mal conseguiu soprar as velinhas. Quando chegou a hora de cortar o bolo, Agnes perguntou se não se importariam de não cortá-lo para que pudesse levá-lo para casa – apenas para poder saborear aquele momento mágico por mais alguns instantes. Em seguida, ela saiu carregando seu bolo como se fosse um tesouro.

Tony conduziu os convidados em um momento de oração por Agnes e o proprietário da loja disse que não fazia a menor idéia de que Tony fosse um pregador. E então perguntou a Tony de que tipo de igreja ele era. Tony respondeu que era uma igreja em que se dão festas de aniversário para prostitutas às 3:30 horas da madrugada. O homem não podia acreditar. “Não, isso não é possível. Não existe uma igreja assim. Se existisse, eu me juntaria a ela. É, com certeza eu faria parte de uma igreja desse tipo.”

Infelizmente, existem muito poucas igrejas como essa; no entanto, se mais de nós compreenderem a mensagem secreta de Jesus, esse número crescerá intensamente.

Brian D. McLaren
Voltar para Artigos



Igreja Bíblica Cristã

Sede: Av. Alzira Vargas, 863
Laranjal - São Gonçalo - RJ

Compartilhe!

Contato

contato@igrejabiblicacrista.org
+55 (21) 3606-5614

2014 - Capriles Web Designer
© Todos os direitos reservados.